Archivo del mes 11.2013

05.11.2013

Peça de collage

0

Muitas pessoas perguntam o que significa o desarraigo. Frente a isso, se pode tentar explicar o que é deixar involuntariamente a terra amada, as pessoas próximas, os hábitos, os sabores e aromas da vida. Com essa descrição, se pode acreditar o tentar imaginar, mas é impossível que se possa encarnar esse sentimento por completo. Acho que há sentimentos que não se compreendem ainda são vividos. Quando a partida é inevitável, a melancolia é a protagonista; adeus liberdade incondicionada, adeus sensação do próprio. Bem-vindo o aluguel do alheio. Para fazer uma representação gráfica com palavras, se pode dizer que é a sensação de ficar aprisionado no tempo, entre um passado que não terminou e um futuro próximo que ainda não chega.

Imagina um quadro grande de collage, formado por diferentes figuras, de distintos lugares que, a nível macro, parecem conviver harmônica e pacificamente. Mas não esqueça o nível micro: eles estão recortados de outras situações, de outros mundos, Tiradas de contexto e adicionadas a uma realidade distinta. Como resolver a disjuntiva: Ser daqui ou ser de lá; ou ser daqui e de lá?

Além de que um pode ter a ideia de que algumas coisas já ficam no passado e não voltam, que já não causam melancolia e que podem ser pensadas e faladas tranquilamente, o sentimento é tão profundo e está arraigado tão forte que faz brotar a saudade: ela vem a qualquer hora. Um pode crescer e se adaptar a diferentes situações, mas a saudade está arraigada no ser, faz parte do sistema e ela não muda, mas evoluciona. É recordação suave dos momentos vividos, vontade de conversar de novo com pessoas inolvidáveis, reviver situações extintas. Saudade é não poder expressar com palavras o sentimento.

Voltar ao lugar de origem não significa terminar com a saudade, a saudade não se cura. Pode matar ela, mas temporalmente; porque se você se afasta, em breve ela voltará e acompanhará sua pessoa novamente. Saudade é esse pedaço de terra que ainda bate no profundo do ser e que não deixa esquecer as raízes e o caminho.

O desafio é  continuar, é seguir o rio por onde a vida passa, abrindo-nos ao novo, a novas culturas e enriquecendo nosso caminho, delineando nosso destino, sem esquecer ideais e valores. Sentir saudade e ter identidade, e ter sabido amar, pertencer. Implica ter se apaixonado por algo, por alguém, por algum ideal. É amor e ausência. Saudade é o bater da identidade.